Memória curta e corrupção eterna: o brasileiro e as eleições 

0
5056

Mais uma vez a Câmara Federal foi palco de um deplorável espetáculo de demagogia, cinismo e desrespeito ao povo brasileiro. A votação que autorizava o Supremo Tribunal Federal a investigar o presidente Michel Temer manchou a nossa democracia e só reforçou algo manifesto no cenário político brasileiro: os deputados ignoram a opinião pública.

Mesmo com o governo impopular e recordes de reporvação, suas ecxelências recorriam à estabilidade econômica e política, à ética e ao progesso do Brasil para barrar a investigação. De outro modo, palavras como golpe, corrupção e governo ilegitimo foram a base da oposição.

Reportagem feita pelo jornal “O Globo” revela que o governo federal liberou cerca de R$ 15,3 bilhões em emendas a estados e municípios nas últimas semanas que antecederam a votação. O resultado não poderia ser diferente: 263 deputados votaram a favor do presidente, enquanto 227 contra e duas abstenções. Houve 19 ausências.

De Sergipe, dos oito deputados, apenas dois disseram SIM: André Moura, líder do Governo no Congresso e Fábio Reis, correligionário de de Temer.

Aliás se recuarmos um pouco no tempo percebemos, através das votações, como nossos repreentantes em Brasília, tem votado: se com o povo ou com o poder.

Deputados sergipanos que votaram a FAVOR da Reforma Trabalhista: Laércio Oliveira (SD) e André Moura (PSC).

Deputados sergipanos que votaram a FAVOR do Projeto de Lei 4.330/04, que disciplina a terceirização no país:  André Moura (PSC), Adelson Barreto (PTB), Laércio Oliveira (SD), Fábio Reis (PMDB) e Fábio Mitidieri (PSD).

Deputados sergipanos que votaram a FAVOR da  proposta de emenda constitucional (PEC) 241, que congela os gastos públicos pelos próximos 20 anos: delson Barreto (PR); André Moura (PSC); Fábio Mitidieri (PSD); Fábio Reis (PMDB); e Laércio Oliveira (Solidariedade).

a partir deste histórico de votação, nossos atuais parlamentares não estão em sintonia com o clamor das ruas e tampouco compromissados com garantir os direitos fundamentais do povo.

Em 2018 essa turma vai pedir voto. E se o eleitor reelegê-los aí deve haver aulgum problema no nosso sistema representativo. Afinal, deputado só chega a Brasília porque alguém votou neles.

Se a memória do sergipano falhar esses deputados continuarão rindo da nossa cara.

Viva 2018!

Valdenicio Silva

 

Sem comentários